Home Esportes Solidariedade salva “fenômeno” Gabriel Jesus, adorado mesmo sem gols na Copa

Solidariedade salva “fenômeno” Gabriel Jesus, adorado mesmo sem gols na Copa

6 Primeira leitura
Comentários desativados em Solidariedade salva “fenômeno” Gabriel Jesus, adorado mesmo sem gols na Copa
0
510
Publicidade

Solidariedade salva

Em branco na primeira fase, atacante chama atenção por outros números muito valorizados pelos companheiros e pelo técnico Tite

abriel Jesus quer gols. Precisa de gols. Passar a fase de grupos da Copa do Mundo em branco o levou a um momento de solidão e reflexão depois do apito final da vitória por 2 a 0 sobre a Sérvia. Com a camisa 9, de artilheiro, cobrindo o rosto. Seu reserva, Roberto Firmino, vem de temporada irrepreensível no Liverpool e já há quem chame de teimosia a insistência de Tite.

Mas não é só o técnico quem banca Jesus. Os companheiros adoram jogar com ele.

Por que um camisa 9 é tão valorizado mesmo sem gols?

Alguns dados ajudam a explicar. Gabriel Jesus foi o brasileiro que percorreu maior distância no terceiro jogo da equipe: 10,26 quilômetros. Isso é raríssimo para um centroavante. Normalmente, eles estão entre os que menos correm e menos tocam na bola, mas o garoto estendeu seu raio de ação para colaborar defensivamente. E isso encanta.

Brasileiros que percorreram maior distância contra a Sérvia (em quilômetros):

  1. Gabriel Jesus: 10,26
  2. Casemiro: 10,20
  3. Willian: 10
  4. Neymar e Fagner: 9,71
  5. Filipe Luís: 9,70
Gabriel Jesus se empenha na marcação no jogo contra a Sérvia (Foto: REUTERS/Maxim Shemetov)

Gabriel Jesus se empenha na marcação no jogo contra a Sérvia (Foto: REUTERS/Maxim Shemetov)

Torcedores certamente dirão que “atacante precisa fazer gols, não marcar”. Meia verdade. Na equipe de Tite, ele precisa, sim, de gols, mas o “trabalho sujo” é muito valorizado. Desde os tempos de Corinthians, a marcação compacta, com todos os jogadores em linhas muito próximas, caracteriza as atividades defensivas comandadas por essa comissão técnica.

Gabriel Jesus participa tanto que é chamado de “fenômeno” por companheiros de leitura tática mais apurada, como o meia Renato Augusto, por exemplo.

Mapa de calor mostra Jesus por todo o campo contra a Sérvia (Foto: Fifa Data)

Mapa de calor mostra Jesus por todo o campo contra a Sérvia (Foto: Fifa Data)

A leitura é que um jogador dessa posição, que depende de gols, números e estatísticas, não costuma ser tão solidário. E que Gabriel Jesus, mesmo pressionado por ainda não ter feito o seu na Copa do Mundo, ainda assim coloca a participação coletiva em primeiro lugar.

Isso vai bastar para que ele permaneça na equipe? É provável que para o próximo jogo, sim. Tite aproveita brechas para afagar aqueles que estão fora, como na coletiva de quarta-feira, em que aproveitou a pergunta sobre a seca de seu titular para tecer elogios a Firmino.

E enquanto os gols não saem, a entrega de Jesus o mantém na equipe.

Os jogadores da Seleção tiveram folga na última quinta-feira, e voltam aos treinos nesta sexta, às 11h (de Brasília), em Sochi. O jogo das oitavas de final, contra o México, será na segunda, também às 11h, na cidade de Samara.

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Bruno Pelizzoni dos Santos
Carregar mais por Esportes
Comentários estão fechados.

Veja Também

 Incêndio em edificação é registrado em Maximiliano De Almeida

Na noite de domingo (23) por volta das 23 horas a corporação de Bombeiros Voluntários de M…