Home Notícias Antecipação da vacina contra o coronavírus para os professores é avaliada pelo governo gaúcho

Antecipação da vacina contra o coronavírus para os professores é avaliada pelo governo gaúcho

4 Primeira leitura
0
0
7

Em manifestação nesta terça-feira (11), o governador gaúcho Eduardo Leite informou que está em análise a possibilidade de antecipar a vacinação contra o coronavírus para os professores e demais trabalhadores da educação no Rio Grande do Sul. A hipótese é respaldada por recente decisão do Tribunal de Justiça que manteve a imunização antecipada da categoria em Esteio (Região Metropolitana).

Ainda segundo ele, a Secretaria Estadual da Saúde (SES) obedece ao cronograma do Plano Nacional de Imunizações (PNI), coordenado pelo Ministério da Saúde. Além disso, a legislação federal estabelece a ordem de priorização para todas as vacinas no País.

“Diante de uma situação na qual um município daqui começa a imunização dos professores, o assunto é vai para a Justiça, que na primeira e segunda instâncias diz que [a aplicação das doses para esse segmento poulacional] pode continuar, então temos uma novidade”, frisou.

“Provocamos o Supremo Tribunal Federal com uma ação direta de ADPF [Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental] para ter o respaldo na vacinação dos professores, mas ainda não houve resposta”, prosseguiu, acrescentando em seu relato que:

“Como em nível local tivemos essa decisão respaldada no Tribunal de Justiça, encomendei à Secretaria da Saúde que analise, junto à Procuradoria-Geral do Estado, o quanto isso nos dá segurança jurídica para que se possamos avançar em uma proposta de orientação aos municípios, sem prejudicar a vacinação das pessoas com comorbidades”.

Atualmente, o Estado, seguindo a ordem estabelecida no PNI, segue orientando que os municípios apliquem a segunda dose das vacinas contra o coronavírus no grupo prioritário dos idosos até 60 anos e façam a primeira etapa da imunização das pessoas com comorbidades.

Sem fura-fila

Ainda de acordo com Eduardo Leite, não se trata de passar professores na frente de outro grupos ou cometer o já famigerado fura-fila. A ideia é contemplar os profissionais da educação de forma paralela a outros grupos.

“Seria conciliar para que pudéssemos dar continuação à vacinação dos com comorbidades e, paralelamente, vacinar professores também, com parte das doses reservada para isso. Se tivermos segurança a partir destas recentes decisões judiciais, vamos fazer isso. Esse é o nosso desejo: queremos imunizar os professores, pois é importante para um retorno seguro das aulas”.

FONTE- O Sul

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Mateus Giequelin
Carregar mais por Notícias

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Veja Também

Bombeiros voluntários de Machadinho atendem ocorrência de incêndio veicular

Na manhã desta quinta-feira (10) a Corporação de Bombeiros Voluntários de Machadinho receb…