Home Destaque Estudantes da rede pública do RS terão internet em celulares para acessar aulas não presenciais

Estudantes da rede pública do RS terão internet em celulares para acessar aulas não presenciais

5 Primeira leitura
0
0
245

Secretaria Estadual de Educação pretende cadastrar até 900 mil smartphones de alunos e professores gaúchos.

 

Estudantes da rede estadual de ensino terão acesso ou ampliação da internet para realizarem as atividades escolares em meio à pandemia de coronavírus no Rio Grande do Sul. As aulas foram suspensas, na metade de março, para evitar o contágio em massa.

Por iniciativa do deputado estadual Gabriel Souza (MDB), a Assembleia vai devolver R$ 5,4 milhões do orçamento do Legislativo, ao longo de 12 meses, para que a Secretaria Estadual da Educação ofereça internet para smartphones cadastrados de até 900 mil alunos e professores gaúchos. A ampliação da franquia só permite acesso a conteúdos de cunho educacional.

Nesta quarta-feira, Gabriel Souza e o presidente da Assembleia, Ernani Polo (PP), alinharam a iniciativa com o secretário estadual da Educação, Faisal Karam. Nas próximas duas semanas, a pasta vai trabalhar no cadastramento das linhas de celular junto às quatro operadoras de telefonia com atuação local (Vivo, TIM, Oi e Claro) e no treinamento dos professores. O conteúdo vai ser transmitido via aplicativo Google Classroom (Google Sala de Aula). A velocidade da conexão deve ser 50 Mbps (megabits por segundo).

A meta do secretário é começar as aulas virtuais na primeira semana de junho. “Os educadores terão autonomia para escolher e priorizar os conteúdos, que serão novos. Infelizmente, não teremos tempo hábil para cumprir o calendário completo este ano”, antecipou Karam.

Ele relatou, ainda, que mesmo após o retorno das aulas presenciais, as atividades à distância terão continuidade na rede estadual. Além disso, os alunos serão submetidos a um teste virtual, assim que puderem voltar às escolas, para atestar o conhecimento assimilado durante as aulas à distância. A avaliação deve ser aplicada pela Universidade Federal de Juiz de Fora, a mesma que prepara a Prova Brasil.

Aulas na TV Assembleia

Outra iniciativa do Parlamento gaúcho de apoio à educação durante a pandemia é a cedência da grade de programação da TV Assembleia para a exibição de 40 horas de aulas por semana. O canal vai transmitir aulas de reforço a estudantes do Ensino Médio que fazem preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A iniciativa é resultado de um convênio entre a Assembleia e governo estadual, por meio da Secretaria da Educação e da TVE.

A proposta busca complementar a formação dos alunos do Ensino Médio sem que eles sejam prejudicados por conta da suspensão da atividade presencial. Na TV AL, as aulas serão transmitidas a partir das próximas semanas, de segunda a sexta-feira, das 7h às 9h e das 20h às 22h. Aos sábados e domingos, os conteúdos da semana serão reapresentados, totalizando 40 horas semanais de preparatório. O projeto segue até 31 de outubro.

Fonte: Correio do Povo

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Silmar Luiz Biscaro
Carregar mais por Destaque
Comentários estão fechados.

Veja Também

Município de Maximiliano de Almeida recebe doação da Receita Federal

O município de Maximiliano de Almeida recebeu da Receita Federal a doação de um caminhão q…