Home Notícias Ex-ministro Eduardo Pazuello apresenta defesa ao Exército e diz que ato com Bolsonaro não era evento político

Ex-ministro Eduardo Pazuello apresenta defesa ao Exército e diz que ato com Bolsonaro não era evento político

2 Primeira leitura
0
0
26

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello apresentou na quinta-feira (27) ao Exército a defesa no processo disciplinar que apura a sua participação em um ato com o presidente Jair Bolsonaro no Rio de Janeiro.

General da ativa do Exército, Pazuello argumentou que o passeio de moto no Rio de Janeiro, no último domingo (23), não era um evento político-partidário, que o País não está em período eleitoral e que Bolsonaro não é filiado a partido político. Pazuello alegou também ter a convicção de que não infringiu nenhuma norma do Regulamento Disciplinar do Exército.

A Força abriu um procedimento disciplinar para apurar a conduta de Pazuello um dia depois do ato, e o prazo para apresentação da defesa era de dois dias. Agora, caberá ao comando do Exército decidir o que fazer. O prazo é de 30 dias.

O Regulamento Disciplinar do Exército considera transgressão “manifestar-se, publicamente, o militar da ativa, sem que esteja autorizado, a respeito de assuntos de natureza político-partidária”.

O Estatuto dos Militares diz que “são proibidas quaisquer manifestações coletivas, tanto sobre atos de superiores quanto as de caráter reivindicatório ou político”.

Com a apresentação da defesa, Pazuello será chamado para fazer a sustentação oral, se não houver arquivamento sumário do caso. Se for punido, Pazuello pode receber advertência, repreensão oral ou prisão.

Fonte-O Sul

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Mateus Giequelin
Carregar mais por Notícias

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Veja Também

Caça ao serial killer no DF causa atrito entre governadores

Ibaneis Rocha afirmou que fugitivo “vem fazendo a polícia de boba”. Já Ronaldo…