Home Destaque Famurs critica falta de diálogo do Estado em decisões de enfrentamento da pandemia

Famurs critica falta de diálogo do Estado em decisões de enfrentamento da pandemia

8 Primeira leitura
Comentários desativados em Famurs critica falta de diálogo do Estado em decisões de enfrentamento da pandemia
0
17
Foto: Divulgação/Famurs

Por meio de nota (íntegra abaixo) endereçada ao governador Eduardo Leite, a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) se posicionou sobre as mudanças estabelecidas pelo governo estadual, anunciadas nesta terça-feira.

No documento, assinado pelo presidente da Famurs, Maneco Hassen, a entidade criticou a ausência de diálogo do Estado, na qual afirmou ter uma “conduta autoritária” em relação a regulamentação das medidas de enfrentamento à pandemia.

Além disso, a Famurs também considerou arriscada a decisão do Piratini em classificar o Rio Grande do Sul na bandeira vermelha, um dia após a Justiça ter decidido manter a suspensão das aulas, já que todo o mapa, até hoje, era preto. No entendimento da entidade essa escolha expôs a “fragilidade e desgaste do modelo de distanciamento controlado”.

A federação também pediu que o Executivo inclua as prefeitas e os prefeitos nos processos de construção de medidas de enfrentamento a doença.

Granpal 

Os prefeitos do Consórcio de Municípios da Região Metropolitana (Granpal) também se manifestaram contrários à forma como o Piratini anunciou as mudanças. Durante reunião nesta terça, os gestores reprovaram a falta de diálogo e classificaram o sistema de distanciamento controlado como “falido”, principalmente pela instabilidade do sistema de cogestão.

“O governador chamou, com meia hora de antecedência, uma reunião do Comitê de Crise e nos comunicou sobre a alteração de todo o Estado para bandeira vermelha. Enquanto ainda estávamos reunidos, soubemos, pela imprensa, da intenção de acabar com a cogestão. Nós já havíamos alertado na semana passada que o melhor caminho era migrar para a bandeira vermelha. O governo não nos ouviu e criou todo um embaraço. É essa falta de diálogo que levou o sistema de bandeiras à falência”, apontou o prefeito de Porto Alegre e presidente da entidade, Sebastião Melo.

Veja a nota da Famurs:

Senhor Governador.

Mais uma vez somos obrigados a nos manifestar para registrar nossa profunda inconformidade com a conduta autoritária com que o Governo do Estado, nos últimos meses, tem adotado na regulamentação das regras de distanciamento controlado para combate a pandemia. A ausência de diálogo tem prevalecido. E com essa posição arbitrária não é possível construir consensos mínimos necessários, especialmente em momentos de crise como a que estamos vivenciando agora.

Nos últimos encontros, recorrentemente alertamos que a tomada de decisões sem respaldo técnico, apenas cedendo a pressões (muitas legítimas), acabariam por retirar a credibilidade das normas, que foram alteradas sem qualquer critério no último período.
Não podemos aceitar o falso diálogo, em que as decisões chegam prontas ou são anunciadas pela imprensa. Sempre fomos colaborativos com os demais entes federados em propostas relativas à pandemia do coronavírus, especialmente com o Governo do Estado. Queremos participar e ajudar. Construir coletivamente as melhores alternativas. Mas não podemos assumir responsabilidades que, neste momento, são do Governo do Estado.

A FAMURS considera altamente arriscada a medida de conversão para a bandeira vermelha um dia após a decisão da justiça de manter a suspensão das aulas. Não que os municípios e esta entidade não considerem que é momento para se permitir o retorno das aulas, mas essa conduta, expõe a fragilidade e desgaste do modelo de distanciamento controlado.

A FAMURS concorda, momentaneamente, com o fim do modelo de cogestão, desde que haja participação efetiva das prefeitas e prefeitos na construção de uma nova referência, que deve ser simples e objetiva, considerando as peculiaridades de cada região e setores econômicos e sociais, com foco no equilíbrio necessário. Solicitamos, enfaticamente, que o Governo do Estado inclua os municípios gaúchos no processo de decisão das regras a serem aplicadas no Rio Grande do Sul.

Ainda, solicitamos, mais uma vez, ao Governo do Estado, atitude firme e propositiva para que o processo de vacinação possa ser acelerado em nosso Estado. Precisamos de mais vacinas. Por isso, é preciso iniciativa e ação em defesa do povo gaúcho, sob pena de se manter as medidas de restrições hoje necessárias, ainda por longos meses.

Não se governa por decretos. E sim, democraticamente, construindo com diálogo, planejamento e responsabilidade, alternativas para sairmos desse impasse.

Porto Alegre, 27 de abril de 2021

ACESSE NA FONTE
Autor: RÁDIO GUAÍBA

FIQUE POR DENTRO! PARTICIPE DO GRUPO DA DESTAQUENEWS NO WHATS APP

QUER CONVERSAR SOBRE FUTEBOL, OPINAR, DISCUTIR E ZOAR SOBRE A DUPLA GRENAL PARTICIPE DO GRUPO INTERATIVA GRENAL NO WHATS APP

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por DestaqueNews
Carregar mais por Destaque
Comentários estão fechados.

Veja Também

Autor da chacina na creche de Saudades pode ter pena próxima dos 100 anos

Saudades – Dez minutos. Esse foi o tempo que Fabiano Kipper Mai levou para cometer os cinc…