Home Notícias MPF denuncia Filipe Martins por gesto com conotação racista no Senado

MPF denuncia Filipe Martins por gesto com conotação racista no Senado

4 Primeira leitura
Comentários desativados em MPF denuncia Filipe Martins por gesto com conotação racista no Senado
0
3

O MPF (Ministério Público Federal) denunciou na 3ª feira (8.jun.2021) Filipe Martins, assessor para assuntos internacionais da Presidência, por gestos racistas em sessão no Senado em 24 de março.

Martins disse que estava só ajeitando o próprio terno, mas o MPF afirmou que produziu laudo pericial a partir da aproximação das imagens das câmeras e que o assessor não tocou a lapela do terno quando executou o gesto. Os procuradores disseram que “sua consciência da ilicitude do gesto racista é, pois, evidente“.

Não é verossímil nem casual que tantos símbolos ligados a grupos extremistas tenham sido empregados de forma ingênua pelo denunciado (…) nem que sua associação a grupos e ideias extremistas tenha sido coincidência em tantas ocasiões”, afirmam os procuradores.

A denúncia descreve publicações realizadas por Martins nas redes sociais com referências a ideias de extrema direita e de personagens fascistas. O MPF cita o exemplo de uma postagem do assessor em 11 de dezembro de 2019 ao vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro. Martins usou a expressão em espanhol “Ya hemos pasao“.

A frase que, em português, significa ‘Já passamos!’ foi largamente adotada no regime do ditador Francisco Franco (1907-1975) na Espanha, em resposta a outra frase, usada por seus oponentes, que dizia ‘¡No pasarán!’ (‘Não passarão’, em português)“, diz o MPF.

Se a denúncia for recebida pela 12ª Vara de Justiça Federal, Martins responderá, segundo a lei de crimes raciais, por ter praticado e induzido a discriminação e o preconceito de raça. Pode ser condenado à prisão, à perda do cargo público e ao pagamento de multa com valor mínimo de R$ 30.000. O MPF alegou também que a conduta de Martins foi agravada pela violação de dever inerente ao cargo público que ocupa.

Na sessão de março, Martins fez um gesto com a mão que se assemelha a um sinal de “OK”, usado em vários países, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas o movimento tem outros sentidos. Nos Estados Unidos, também é usado por supremacistas brancos que exaltam o que chamam de “white power” (poder branco). Os 3 dedos esticados formariam “W”, de white, e o polegar junto com o indicador emulariam a volta do “P”, de power.

Autor: Poder 360

FIQUE POR DENTRO! PARTICIPE DO GRUPO DA DESTAQUENEWS NO WHATS APP

QUER CONVERSAR SOBRE FUTEBOL, OPINAR, DISCUTIR E ZOAR SOBRE A DUPLA GRENAL PARTICIPE DO GRUPO INTERATIVA GRENAL NO WHATS APP

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por DestaqueNews
Carregar mais por Notícias
Comentários estão fechados.

Veja Também

Ramirez não resiste à eliminação na Copa do Brasil e é demitido do Inter

Mesmo afastado por ter positivado para Covid-19, o treinador espanhol não suportou a press…