Home Destaque Safra de verão 2018/19 é a segunda maior do Estado, segundo estimativa preliminar

Safra de verão 2018/19 é a segunda maior do Estado, segundo estimativa preliminar

12 Primeira leitura
Comentários desativados em Safra de verão 2018/19 é a segunda maior do Estado, segundo estimativa preliminar
0
35
Publicidade Publicidade

Como tradição durante a Expodireto Cotrijal, a Emater/RS-Ascar anunciou na manhã desta terça-feira (12/03) o levantamento das lavouras da safra de verão 2018/2019, no Café da Manhã para a Imprensa, organizado na Casa da Família Rural. O presidente da Emater/RS, Iberê de Mesquita Orsi, apresentou os dados coletados em todo o Estado, considerando a situação das lavouras até fevereiro/2019. Segundo os números preliminares, houve aumento na expectativa de produção na grande maioria das culturas, com destaque para a cultura do milho, que tem previsão de aumento de 22,32% na produção. A safra de verão 2018/2019 deverá alcançar uma produção próxima de 40 milhões de toneladas, o que poderá causar um impacto econômico no valor bruto superior a R$ 31 bilhões. Com a confirmação desses números, esta será a segunda maior safra de verão no Estado do RS.

Analisando individualmente cada cultura, o grande destaque para essa safra é o cultivo do milho grão. Com um aumento de 7,43% na área plantada, a expectativa de produção é de 5,52 milhões de toneladas, o que representa um aumento de 22,32% em comparação à safra passada. É o maior crescimento estimado para as culturas de verão este ano. Em produtividade, o crescimento previsto é de 13,87%, que se refere a uma média de 7,3 mil kg/ha.

Para o presidente da Emater/RS, Iberê de Mesquita Orsi, esse crescimento é expressivo e muito importante para o Estado. “É um aumento significativo, pois o milho tem uma grande importância para o Estado  especialmente nas cadeias de suinocultura, avicultura e gado leiteiro. É uma das culturas que teve mais rentabilidade nos últimos anos, em função das tecnologias utilizadas. Se fizermos uma retrospectiva para o início da década de 90, a 30 anos atrás, tínhamos uma média de produtividade no RS de 18 sacas por hectare. Em 30 anos nós passamos para uma média acima de cem sacas por hectare e isso se deve a tecnologia”, argumentou Orsi. Ijuí, Passo Fundo e Erechim são as regiões que se destacam na produção de milho grão.

O cultivo do milho silagem, que não é contabilizado junto com o milho grão, apresentou uma redução na área plantada de 3,56% (área atual de 354 mil hectares), em comparação à safra passada. Mesmo com essa redução, a expectativa de produção e a produtividade tiveram crescimento em relação ao ano passado. É estimada a produção de 13,7 milhões de toneladas (aumento de 2,54%) e uma produtividade de 38,7 toneladas por hectare (crescimento de 6,32%).

O cultivo do arroz sofreu uma pequena redução na área plantada de 4,15%, em comparação a safra do ano passado (2017/18). Com pouco mais de um milhão de hectares plantado no Estado, a produção atual está estimada em 7,78 milhões de toneladas (redução de 7,24%), com uma produtividade de média de 7,6 mil kg/ha, o que representa uma redução de 3,22%, considerando a safra passada.

Na cultura do feijão 1ª safra, o levantamento aponta uma redução mínima na área plantada, de apenas 0,49%. Diante da área de cultivo de 39,5 mil hectares, a expectativa de produção e produtividade ultrapassam os números da última safra. A produção é estimada em 69,9 mil toneladas de feijão, o que representa um aumento de 8,64%, e uma produtividade de 1,7 mil kg/ha (aumento de 9,21%).

No feijão 2ª safra o cenário se repete. Com uma redução de apenas 0,12% na área de plantio, a expectativa de produção superou a do ano passado, alcançando 32,19 mil toneladas, um aumento de 5,32%, e uma produtividade crescente de 5,43%, em torno de 1,6 mil kg/ha.

Como nas demais safras, a cultura da soja também apresentou crescimento este ano. Com uma área atual de 5,8 milhões de hectares, um aumento de 0,79%, a produção esperada para a soja é de 18,5 milhões de toneladas (crescimento de 5,7%) e a produtividade de 3,19 mil kg/ha (aumento de 4,89%).

A partir dessas estimativas, a safra de verão 2018/2019 deverá alcançar uma produção total próxima de 31,9 milhões de toneladas, o que causará um impacto econômico no valor bruto superior a R$ 31 bilhões, garantindo para este ano a segunda posição no ranking das maiores safras de verão do Estado do RS. “A partir dessas informações, temos a certeza que o agronegócio é a grande saída para os nossos produtores e para o nosso Estado”, finalizou o presidente da Emater/RS.

 

Café da Manhã

O Café da Manhã para a Imprensa contou com a presença do presidente da Cotrijal, Nei César Mânica, do chefe de gabinete da Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Erli Teixeira, da diretora administrativa da Emater/RS, Silvana Dalmás, do presidente da Câmara de Vereadores de Não-Me-Toque, Carlos Alberto Bacher, dos gerentes do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Passo Fundo, Oriberto Adami e Dartanhã Vecchi, entre outras autoridades e lideranças.

O presidente da Cotrijal, Nei César Mânica, expressou o reconhecimento pelo trabalho realizado pela Assistência Técnica e Extensão Rural e Social e como isso se reflete nos dados apresentados. “É com muita alegria que estamos aqui para vermos o que a Emater pode nos proporcionar de informação. São dados fundamentais e atuais, que demonstram realmente a pujança do agronegócio do RS. Eu quero mais uma vez registrar que a Feira com a Emater é uma Expodireto forte e sem a Emater seria outra diferente. Nós temos a convicção e a certeza, pelo profissionalismo que vocês têm e pela equipe de colaboradores, que a Emater é o nosso pilar de sustentação na produção de alimentos, na pequena propriedade principalmente. Trazemos nossa gratidão e reconhecimento por todo esse trabalho, que encanta todos os visitantes de todos os recantos do nosso Brasil”, declarou Mânica.

O chefe de gabinete da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Erli Teixeira, representando a secretaria, falou da importância do setor para o desenvolvimento do Estado. “Temos a certeza que iremos colher muitos frutos nessa caminhada dentro da Secretaria da Agricultura, em relação ao agronegócio. Sabemos da importância do trabalho que a Emater vem desenvolvendo em todo o Estado, com sua capacidade técnica, com pessoas qualificadas e com o comprometimento para desenvolver o melhor para o RS. Temos certeza que teremos um aumento na produção de grãos no Estado e isso se deve ao trabalho da Emater, aos produtores que confiam no trabalho da Assistência Técnica e também das empresas e entidades que trabalham com o agronegócio no RS”, enfatizou Teixeira.

FONTE: Assessoria de Imprensa Emater/RS

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por João Guilherme dos Santos
Carregar mais por Destaque
Comentários estão fechados.

Veja Também

Empresas de material de construção sofrem tentativa de golpe na região

A Polícia Civil investiga uma nova modalidade de golpe na região: passando-se por uma cons…