Home Economia Setor de serviços avança 2,6% em novembro e tem sexta alta seguida

Setor de serviços avança 2,6% em novembro e tem sexta alta seguida

4 Primeira leitura
0
0
6

Com resultado, área acumula crescimento de 19,2%, o que ainda não reverte perdas por conta da pandemia. Dados são do IBGE

setor de serviços avançou 2,6% em novembro, o que marca o sexto mês consecutivo de alta. Os dados constam da PMS (Pesquisa Mensal de Serviços), divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (13).

O ganho acumulado dos últimos meses soma 19,2%, no entanto, o resultado ainda é insuficiente para compensar perdas entre os meses de fevereiro e maio no setor, por conta da pandemia do novo coronavírus, e se encontra 3,2% abaixo do patamar do patamar de fevereiro.

Em relação a novembro de 2019, o total do volume de serviços registrou queda de 4,8%, o que marca a nona taxa negativa seguida neste índice. Já no acumulado no ano, a queda é de 8,3% em comparação com o mesmo período de 2019.

Em 12 meses, a baixa de 7,4% mantém, segundo o IBGE, “a trajetória descendente iniciada em janeiro”, de 1%. “Este é o resultado negativo mais intenso desde o início da série, iniciada em dezembro de 2012 para esse indicador”, afirma o instituto.

Em 12 meses, a baixa de 7,4% mantém, segundo o IBGE, “a trajetória descendente iniciada em janeiro”, de 1%. “Este é o resultado negativo mais intenso desde o início da série, iniciada em dezembro de 2012 para esse indicador”, afirma o instituto.

Crescimento por setores

Todas as cinco atividades que compõem o PMS apresentaram crescimento na passagem de outubro para novembro.

Vale destacar o desempenho de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, que registrou crescimento de 2,4% e, especialmente, serviços prestados às famílias, que avançou 8,2%. Ambas as atividades foram as que mais sofreram com os efeitos da pandemia.

Segundo o gerente da pesquisa, Rodrigo Lobo, as atividades do setor de serviços que ainda encontram dificuldades para se recuperar são justamente aquelas que pressupõem atendimento presencial, por isso, o setor ainda não conseguiu recuperar perdas oriundas da pandemia.

“Atividades como restaurantes, hotéis, serviços prestados à família de uma maneira geral e transporte de passageiros — seja o aéreo, o rodoviário ou o metroviário — até mostraram melhoras, mas a necessidade de isolamento social ainda não permitiu o setor voltar ao patamar pré-pandemia”, explica Lobo.

FONTE – R7.COM

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Mateus Giequelin
Carregar mais por Economia

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Veja Também

Após críticas, vacinação em Manaus é suspensa para reformulação

Recém-formados em Medicina, filho de deputado e gêmeas de empresário postaram fotos sendo …